Professor diz que racismo institucional leva ao alto número de negros mortos

0
779

O professor da Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR) Valter Roberto Silvério afirmou que o Brasil vive racismo institucional, com implicações no grande número de negros mortos. Ele participa de audiência pública da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Violência contra Jovens Negros e Pobres.

Segundo Silvério, a população negra é carente de políticas e serviços públicos, o que gera um quadro de desvantagens ocupacional, marcada pelo fato de essa população ocupar as piores posições no mercado de trabalho, com baixa remuneração; locacional, representada pelo fato de os negros ocuparem principalmente regiões periféricas desprovidas de bons equipamentos urbanos; e educacional.

Ele citou dados do Censo de 2010 para mostrar que 55,4% das crianças de 4 a 5 anos que estão fora da escola são negros. Na faixa etária de 15 a 17 anos, esse índice sobe para 61,2%. De acordo com o professor, esses dados têm reflexo direto no quadro de guerra civil que se verifica no País em relação à população negra, em que o número de mortos chega a ser de 4 para 1 em relação aos brancos na faixa etária de 15 a 22 anos.

A CPI está reunida no plenário 9.

 

Fonte: Agência Câmara Notícias