Comissão considera estudos da Plataforma Dhesca um avanço nos direitos humanos

0
834

O balanço “Relatorias em Direitos Humanos 2012 – 2014”, elaborado pela Plataforma Dhesca no Brasil, foi apresentado nesta quarta-feira (27) na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados. O relatório apresentado foi divido em cinco áreas dos direitos humanos, sendo elas: cidade, educação, saúde sexual e reprodutiva, território e alimentação e meio ambiente.

Plataforma Dhesca é uma rede formada por 40 organizações da sociedade civil e que desenvolve ações de promoção e defesa de direitos humanos e reparação de violações.

O presidente da comissão, deputado Paulo Pimenta (PT-RS), considera os resultados dos estudos feitos pela instituição como uma importante contribuição para o avanço dos direitos humanos no País. “A plataforma Dhesca é uma entidade reconhecida que congrega um conjunto de outros grupos e que desenvolve um trabalho muito sério reconhecido no Brasil na área de direitos humanos e esse relatório ajuda não só a sociedade civil, mas os órgãos governamentais a terem um balanço completo de qualidade a partir de missões, de seminários, de estudos que são desenvolvidos.”

Pimenta assinalou que o relatório é uma ferramenta de trabalho que para a comissão. “É uma satisfação poder sediar o lançamento desse relatório no Brasil trazendo esse balanço do último biênio.”

Para a coordenadora da Plataforma Dhesca, Maria Luisa de Oliveira, o Brasil convive com violações desses direitos, direcionados para determinados segmentos da população, porque a sociedade ainda se comporta de maneira classista, racista, violenta contra as mulheres, crianças e adolescentes.

“As violações são tão sérias que vão para além de atitudes preconceituosas, elas se transformam em verdadeiras ações de violência, levando, inclusive, pessoas à morte. Iniciativas como a plataforma continuam fazendo sentido.”
A dirigente explicou que no ano passado foi feito um processo de avaliação externa da Plataforma para mediar a capacidade de efetividade e de incidência desse processo. “Foi muito interessante porque reafirmou a importância de uma rede de direitos humanos como essa, como um ator político importante.”

 

Fonte: Agência Câmara Notícias