Idealizador do Mapa da Violência defende o Estatuto do Desarmamento

0
636

O Estatuto do Desarmamento (Lei 10.826/03) não vai resolver os conflitos no Brasil, mas é inegável que diminuiu o número de mortes por armas de fogo, principalmente entre os jovens, segundo o idealizador do Mapa da Violênicia, Julio Jacobo Waiselfisz.

Ele afirmou que, pelas projeções, de 2004 a 2013, o Estatuto evitou 160.036 mortes. Desse total, foram 113.070 entre jovens de 15 a 29 anos.

Advogado contesta
Já Claudinei Machado, presidente da Comissão de Segurança Pública da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Sorocaba, afirmou que onde houve maior desarmamento houve também um aumento da violência.

“Proibir o uso da arma de fogo não diminui a criminalidade, porque os criminosos não se incomodam com a legalidade. A criminalidade só se reduz com investimentos em repressão e investigação para que os crimes sejam solucionados e os culpados punidos”, afirmou.

Os dois participam de audiência pública da comissão especial que discute o PL 3722/12, que revoga o Estatuto do Desarmamento.

A audiência acontece no Plenário 11.

 

Fonte: Agência Câmara Notícias