CPI da Violência Contra Jovens Negros inicia debate sobre ciclo completo de polícia

181
1703

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Violência Contra Jovens Negros e Pobres iniciou há pouco a audiência pública desta quinta-feira (25). O presidente da CPI, deputado Reginaldo Lopes (PT-MG), ressalta que os debates vão contribuir para a formulação de modelos de segurança pública, em especial, o ciclo completo de polícia e o termo circunstanciado de ocorrência.

O ciclo completo de polícia permite que a mesma corporação policial possa executar as atividades repressivas de polícia judiciária, de investigação criminal e de prevenção aos delitos e manutenção da ordem pública.

“A adoção do ciclo completo de polícia é uma tendência mundial, que, atendidas as peculiaridades do Brasil, apresenta-se como solução viável ao problemático modelo policial. A formatação peculiar do sistema policial brasileiro provoca um estado de permanente dissenso entre as forças de segurança pública. Do mesmo modo, verifica-se que o sistema de segurança pública no Brasil provocou o surgimento de organizações policiais dotadas de culturas distintas, com baixa colaboração entre os órgãos, ou seja, a separação do ciclo da ação policial levou ao fracionamento de duas atividades que devem estar necessariamente vinculadas”, afirma Lopes.

Foram convidados a debater o tema:

  • o presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Jones Borges Leal;
  • o presidente da Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis (Cobrapol), Jânio Bosco Gandra;
  • o representante da Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais (Fenaprf), Renato Borges Dias;
  • o presidente da Associação Brasileira de Criminalística, Bruno Telles;
  • o promotor do Ministério Público de Santa Catarina Thiago Carrico de Oliveira;
  • o representante da Federação Nacional de Entidades de Oficiais Militares Estaduais, coronel Elias Miller;
  • o representante da Polícia Militar de Santa Catarina, tenente coronel Marcelo Hipólito Martinez;
  • o representante da Polícia Militar do Rio Grande do Sul, major Marcelo Pinto Specht;
  • o presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República, José Robalinho Cavalcanti;
  • o presidente da Associação dos Delegados da Policia Federal, Marcos Leôncio Ribeiro;
  • o representante da Associação dos Delegados de Polícia do Brasil, Wladimir Sérgio Reale; e
  • o vice-presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Distrito Federal, Renato Rincon.

A audiência ocorre no plenário 3

 

Fonte: Agência Câmara Notícias