AM – Delegado Legal avança pelo interior e orienta crianças e jovens estudantes

0
1275

O programa Delegado Legal já é uma realidade consolidada em Manaus, capital do Estado do Amazonas, onde desde 2007 inúmeros delegados de polícia do estado participam de visitas e palestras educativas nas escolas públicas, informando e educando crianças, adolescentes e pais desses alunos sobre os riscos do envolvimento com drogas, violência doméstica e/ou sexual e do bullyng.

 

Após quase oito anos de atividades, o programa que ante atuavas prioritariamente  voltado à cidade, expandiu sua atuação pelo interior do estado, primeiro na região metropolitana e, posteriormente nos demais municípios.

 

Essa expansão teve duas origens fundamentais: a convocação dos 97 delegados remanescentes do concurso de 2009 da Polícia Civil do Amazonas, que permitiu pela primeira vez na história lotar autoridades policiais em todas as cidades do estado, e a própria força de vontade destes delegados, na sua maioria, filiados à Adepol-AM, que levaram para estas comunidades as ações que já eram desenvolvidas na capital.

 

“Manaus é uma cidade-estado, com aproximadamente 75% da população residente no Amazonas. É natural que os recursos para estas ações sejam canalizados para lá, porém os programas que dão certo avançam para o interior”, diz o delegado Sinval Barroso, lotado no município de Caapiranga.

 

Barroso, que vai iniciar o ciclo de palestras promovido pelo programa criado pela Adepol-AM,  lembra a importância da criatividade para transformar o Delegado Legal em uma ação viável para os municípios.

 

“Temos uma realidade de dificuldade de acesso. Isso serve tanto para a informação quanto o próprio acesso geográfico, visto que as comunidades ficam reféns do regime dos rios. Temos que vencer os obstáculos com criatividade”.

 

RESPONSABILIDADE SOCIAL

 

O fator social é o principal norte do programa. Ciente disso, Sinval Barroso ressalta a importância desse contato com as pessoas ainda jovens, num momento em que estão mais propensas a ouvir conselhos. Nessa faixa etária a maioria não teve acesso às drogas, sejam lícitas ou ilícitas, o que facilita o trabalho de orientação.

 

“Quando você fala diretamente com o jovem, tem um retorno maior das atividades desenvolvidas. Quando a pessoa fica mais velha, é mais complicado você estimular novos hábitos. O trabalho com a juventude é mais eficiente”, completa Barroso.

 

Idealizador do projeto, o delegado Mário Aufiero, presidente da Associação de Delegados de Polícia do Estado do Amazonas – Adepol-AM, reforça a intenção de trabalhar com os jovens para prevenir crimes no futuro.

 

“Quando você fala para crianças e adolescentes, fala com o futuro, com uma geração que ainda tem tempo de aprender com erros dos outros e evitarem essas condutas. Isso faz da prevenção o melhor caminho, pois conscientizando os jovens, nós evitamos que a criminalidade receba essa mão de obra daqui a alguns anos”, destacou Aufiero.

 

O programa Delegado Legal acontece na capital e municípios do Amazonas e tem o apoio e dedicação voluntária dos Associados. De 2007 a 2015, 250 mil alunos já tiveram a oportunidade de ouvir as orientações dos delegados que reforçam a corrente do bem levantando a bandeira da paz.

 

Fonte: Adepol/AM

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here