Adepol nos Estados – Adepol-MS emite nota repudiando matéria onde o delegado Marcelo Vargas é citado sobre pagamento de propina

0
1057

A Adepol-MS (Associação dos Delegados de Polícia de Mato Grosso do Sul), emitiu uma nota, em relação a matéria veiculada no programa Fantástico da emissora Rede Globo, na qual o delegado Marcelo Vargas Lopes, presidente da Adepol tem o nome citado em uma matéria a respeito de pagamento de propina para a instalação de máquinas caça-níqueis.

Leia a nota:

A ASSOCIAÇÃO DOS DELEGADOS DE POLÍCIA DE MATO GROSSO DO SUL – ADEPOL/MS, por sua Diretoria Executiva vem a público prestar os esclarecimentos necessários em relação à matéria veiculada em rede nacional pela TV Globo/Fantástico no dia 30/11/2014 oportunidade em que foi citado o Presidente desta Entidade de Classe Delegado Marcelo Vargas Lopes.

 

O Delegado de Polícia em questão, com quase 25 anos carreira, é Presidente desta associação de classe desde julho de 2013 (17 meses) oportunidade em que exerce seu terceiro mandato constituindo-se um dos maiores defensores da carreira dos Delegados de Polícia, sendo conhecido local e nacionalmente, ressaltando que em janeiro de 2015 assumirá pela 2ª vez a Vice-Presidência Nacional junto à ADEPOL DO BRASIL, e desde sua assunção na ADEPOL não exerce função gratificada junto ao Governo do Estado.

 

Para não deixar qualquer dúvida a respeito de sua idoneidade e ainda perplexo com a calúnia, difamação e injúrias imputadas contra si, nesta data o Delegado Marcelo Vargas atendeu a imprensa prestando todas as informações pertinentes ao caso, bem como encaminhou expedientes ao Governador do Estado de Mato Grosso do Sul, Secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, Corregedor-Geral da Polícia Civil e Procurador-Geral de Justiça, solicitando a imediata instauração dos procedimentos cabíveis na esfera administrativa e criminal para a completa elucidação dos fatos e apuração da verdade real, autorizando o acesso às informações em seu sigilo bancário, telefônico e fiscal

 

Estão sendo adotadas providências legais junto ao escritório de advocacia que ingressará com as medidas judiciais cabíveis, assim como o formal registro de ocorrência policial. Por fim, serão requisitadas as cópias das gravações visando total transparência e o mais completo esclarecimento dos fatos, bem como será solicitada cópia integral das gravações vez que a matéria foi editada, bem como cópia do interrogatório do preso, eis que a citação de um criminoso não pode macular o nome de um profissional.

 

A ADEPOL/MS repudia de todas as formas a exposição sensacionalista, irresponsável e, sobretudo como foi exposta a imagem do Delegado de Polícia, o qual também possui o seu direito constitucional à imagem.