Ex-deputado diz que armas de fogo não são principais responsáveis por mortes

0
737

O representante da ONG pela Legítima Defesa, coronel Paes de Lira, defendeu há pouco a aprovação do projeto que revoga o Estatuto do Desarmamento e criticou a visão que ele chamou de “desarmamentista”.

“São dez anos de fracasso no controle da criminalidade e dez anos de opressão sobre a vítima”, afirmou Lira, que já foi deputado federal. O projeto (PL 3722/12) tramita na Câmara e está sendo debatido em audiência pública realizada pela comissão especial que analisa a proposta.

Segundo Paes de Lira, as armas de fogo não são as principais responsáveis por mortes violentas no Brasil. Ele citou um dado tirado do estudo Mapa da Violência de 2012, que mostra que 49,2% das mulheres foram mortas, no período do levantamento, por arma de fogo.

Mas 50,2% foram assassinadas por outros meios, como pontapés e facas. O Mapa é um estudo realizado pelo sociólogo Julio Jacobo Waiselfisz, com apoio de organizações como a Unesco.

“Desarmou-se a população e diminuiu o número de homicídios?”, questionou Paes de Lira. Ele disse ainda que não existem elementos estatísticos que justifiquem o desarmamento da população como forma de reduzir a violência e as mortes violentas.

A audiência publica continua no plenário 14.

 

Fonte: Agência Câmara Notícias