Deputado Fabio Trad elogia delegada de Polícia de Mato Grosso do Sul em discurso no plenário da Câmara dos Deputados

0
878

O deputado Fabio Trad (PMDB/MS) elogiou durante discurso em plenário no dia 24 de abril, a delegada Maria de Lourdes Souza Cano, Titular da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Roubos e Furtos de Veículos (DEFURV), na cidade de Campo Grande. No texto do discurso, o deputado fala do empenho da delegada “no trabalho, realizado de forma ininterrupta, para elucidação de crimes emblemáticos de repercussão local, regional, nacional e internacional”.

O deputado citou inúmeros casos elucidados pela delegada, enaltecendo assim o trabalho da Policia Civil e de todos os policiais civis de Mato Grosso Sul, que vem, segundo ele, “oferecendo resultados positivos nas investigações, e, assim, aproximando a sociedade da instituição policial, resgatando a confiança que a sociedade nutre e deve nutrir pela Polícia Civil do Brasil”.

 

Discurso na integra.

Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, demais presentes nesta Câmara dos Deputados, gostaria de fazer uso da tribuna para registrar, e assim enaltecer, a dedicação e o magistral trabalho desenvolvido pela Dra. Maria de Lourdes Souza Cano, Delegada da Polícia Civil do meu Estado de Mato Grosso do Sul, Titular da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Roubos e Furtos de Veículos (DEFURV), na cidade de Campo Grande, precipuamente em razão do empenho no trabalho, realizado de forma ininterrupta, para elucidação de crimes emblemáticos de repercussão local, regional, nacional e internacional.

Os atos de violência têm sido prática constante em nosso País. As prisões de autores de delitos em razão da prática de homicídio, roubo, latrocínio, etc., têm ocupado em grande parte as manchetes dos principais meios de comunicação do Brasil, revelando, de forma triste e dolorosa, a destruição de famílias da sociedade, vitimas de crimes cruéis, bárbaros.

Recentemente, a imprensa do Estado de Mato Grosso do Sul, bem como a imprensa nacional e internacional, noticiava o desaparecimento do jovem empresário Erlon Peterson Pereira Bernal, de apenas 33 anos de idade, que se deslocou com o seu veículo Volkswagen Golf ao encontro de um suposto comprador do veículo que o empresário anunciava para venda. O empresário divulgou a venda de seu veículo através de um site eletrônico e foi contatado por um suposto comprador. Marcaram um local para que o comprador examinasse o veículo, e, em seguida, o empresário fora convencido a levar o carro para a residência do suposto comprador para concretização da compra – isso em 1º de abril de 2014, por volta das 15 horas.

Familiares registraram um Boletim de Ocorrência sobre o desaparecimento do empresário no mesmo, dando-se inicio às investigações no dia seguinte pela DEFURV, sob o comando da Delegada de Polícia, Dra. Maria de Lourdes Cano. Familiares e amigos viveram momentos de angústia e sofrimento, aguardando notícias do jovem empresário Erlon, pois se passavam dias do desaparecimento sem que se tivesse qualquer informação sobre ele.

Entretanto, em um curto espaço de tempo, as investigações realizadas apontavam que a suposta negociação para a compra do veículo, em verdade, se tratava de uma emboscada, pois o suposto comprador demonstrou interesse pelo veículo que a vítima estava vendendo, convencendo-a a levar o veículo até uma residência, onde, juntamente com outros 3 comparsas, o suposto comprador assassinou o empresário com um disparo de arma de fogo em sua cabeça, e, seguidamente, enterrando seu corpo numa fossa séptica localizada dentro do quintal dessa casa dos marginais.

A identificação e prisão de todos os autores do latrocínio, dentre eles uma menor de idade, com 17 anos, bem como a localização do corpo do jovem empresário Erlon, enterrado dentro de uma fossa séptica da residência dos delinquentes, só foi possível graças à dedicação da equipe de policiais da DEFURV (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Roubos e Furtos de Veículos), comandada pela Dra. Maria de Lourdes Souza Cano, que, com muito empenho, investigou o caso com afinco, trabalhando dia e noite, sem nenhuma interrupção dos serviços. E, após a realização de inúmeras diligências investigativas, solucionou o caso, que culminou com a prisão dos latrocidas e, consequentemente, com a localização do corpo, abrandando o sofrimento e a aflição dos pais, esposa, duas crianças (filhos), familiares e amigos do empresário Erlon.

Cumpre registrar que durante sua carreira policial na Polícia Civil do Estado de Mato Grosso do Sul inúmeras outras investigações foram realizadas pela nossa Delegada de Polícia Civil, Dra. Maria de Lourdes Souza Cano, com muito afinco e extrema dedicação, dentre os quais citamos os sucessos obtidos na elucidação de casos emblemáticos e de grande repercussão, não só no Estado de Mato Grosso do Sul e no Brasil, mas como em diversos países, em nível internacional, como o latrocínio em que foram vitimas os jovens Breno e Leonardo, que, após serem abordados por 4 assaltantes, na saída de uma lanchonete, foram mortos com tiros na cabeça. Os ladrões assassinos roubaram o veículo dos jovens, uma caminhonete Pajero, para trocá-lo por drogas no país vizinho, a Bolívia.

Outro fato, o de uma criança, Luiz Eduardo, conhecido como Dudu, que até então era tido como desaparecido. Um menino de apenas 10 anos de idade, que, após passar por investigações de outras delegacias, chegou até a Dra. Maria de Lourdes Souza Cano, que desvendou o caso como homicídio doloso com ocultação de cadáver. Ela prendeu todos os envolvidos. Aliás, um dos autores da morte de Dudu foi seu próprio padrasto, conhecido como Cido.
Também outro fato bastante emblemático foi o caso do “maníaco da cruz”, ocorrido na cidade de Rio Brilhante. Na ocasião, 3 pessoas haviam sido mortas. O criminoso, após ceifar a vida das vítimas, deixava-as em posição de Cristo crucificado, posição de cruz. Quanto mais o tempo passava, a sociedade de Rio Brilhante, como a de todo o Estado de Mato Grosso do Sul, via-se assustada, apavorada, com medo, diante de pessoas que morriam dessa forma, a intervalos exatos de tempo. Então, todos temiam ser a próxima vítima do “maníaco da cruz”. Foi quando a Dra. Maria de Lourdes Souza Cano, então Delegada Titular da Delegacia Especializada da Infância e Juventude, deslocou-se com a sua equipe de Investigadores à cidade de Rio Brilhante, para assumir a investigação. E prontamente, demonstrando total competência, de forma rápida identificou o assassino, apreendendo o adolescente em conflito com a lei, Dionathan Celestrino, à época com 17 anos de idade, um serial killer, autor dos bárbaros crimes ocorridos.

O Estado de Mato Grosso do Sul faz fronteira com países como a Bolívia e o Paraguai, servindo como corredor para o transporte de drogas e veículos roubados. Crimes são cometidos em todo o território nacional, em todos os Estados brasileiros; veículos são furtados e roubados, pessoas são mortas; criminosos praticam atos de violência contra as vítimas, para que os veículos sejam vendidos nos países vizinhos na base de troca por cocaína e maconha.

Embora sabedores do exíguo número de policiais civis lotados na Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Roubos e Furtos de Veículos – DEFURV, onde a Delegada Maria de Lourdes Souza Cano é a Titular, chefiando a equipe de investigadores, temos a total confiança de que, diante de qualquer necessidade investigativa e de qualquer clamor da população, ela soma forças entre os policiais que trabalham na DEFURV, multiplicando-se em dedicação e competências, dando conta de qualquer investigação que realizem, pois, acima de tudo, através da união, através do trabalho em equipe, trazem acalento ao povo sul-mato-grossense.

Se por um lado é crescente o índice de crimes praticados, que assombram e barbarizam as famílias de bem do nosso País, por outro lado é sublime e merecedor de reconhecimento o trabalho exemplar desenvolvido pela Delegada de Polícia Civil Dra. Maria de Lourdes Souza Cano, que, com amor, garra, talento e dedicação, enobrece, fortalece e dignifica a Policia Civil de Mato Grosso Sul, assim como todos os policiais civis de Mato Grosso do Sul, oferecendo resultados positivos nas investigações, e, assim, aproximando a sociedade da instituição policial, resgatando a confiança que a sociedade nutre e deve nutrir pela Polícia Civil do Brasil.

Muito obrigado.