Delegados participam de palestra sobre conciliação em crimes de menor potencial ofensivo

0
885

Cerca de 100 delegados de polícia do Distrito Federal participaram, nesta quarta-feira (09), de uma palestra sobre o tema: Delegado Conciliador e Polícia Cidadã. O palestrante foi o delegado Clóvis Rodrigues da Costa, da Academia de Polícia do Estado de São Paulo, e criador do NECRIM, órgão da Polícia Judiciária paulista que trata da mediação de conflitos em crimes de menor potencial ofensivo.

 

O palestrante veio a Brasília, a convite do presidente da Associação de Delegados de Polícia do Brasil (Adepol BR), Paulo D’Almeida,para participar, a princípio, de uma audiência pública na Comissão de Cidadania e Justiça, da Câmara dos Deputados, para debater o Projeto de Lei 1028/2011, sobre o mesmo tema. A audiência, que estava marcada para esta quinta (10), teve a data alterada para a próxima semana, a pedido do Presidente da Câmara dos Deputados, deputado Henrique Alves.

 

O objetivo da palestra, ocorrida no auditório da Direção-Geral da Polícia do Distrito Federal,foi compartilhar a experiência do Núcleo em São Paulo com os delegados e outros agentes públicos do DF. O evento contou,ainda, com a participação do diretor-geral da Polícia Civil do DF, Jorge Luiz Xavier, além de presidentes de entidades representativas da categoria, e de representantes do Judiciário, que tratam sobre a questão de conciliação.

 

O delegado abriu a palestra com um depoimento em vídeo, do ex-presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, Ivan Sartori, que enalteceu a experiência: “Este é um projeto que propicia conciliação naqueles feitos criminais em que isso se torna possível. Esta forma de proceder tem sido bastante alvissareira para o Judiciário, por que as o delegado de policia inicia o conciliação inclusive com os advogados das partes, de forma reduzir não só os inquéritos policiais, mas os processos judiciais”.

 

Ao longo de quase duas horas, o delegado falou sobre a importância da conciliação, tanto para a Polícia quanto para o Judiciário, mas especialmente para o cidadão brasileiro. Trouxe ainda um histórico da conciliação na Legislação Brasileira, além de mostrar a experiência do NECRIM, por meio de casos concretos. “Com este projeto, o delegado com uma prática simples, mas de muita eficácia, deixa de figurar como mero coadjuvante dentro do macro-sistema da Segurança Pública, para atuar protagonista do processo de pacificação social, cuja demanda cresce a cada dia”, afirmou Clóvis da Costa.