DELEGADO CRIA NOVO MÉTODO DE GESTÃO DE INVESTIGAÇÃO DE ROUBOS

0
263
Delegado Breno Alves

Na cidade de Araguaína no Estado do Tocantins o Delegado de Polícia Civil Breno Eduardo Campos Alves criou e aplicou um novo método de gestão de investigação de roubos na cidade, obtendo aumentos de mais de 60% (sessenta por cento) na quantidade de crimes resolvidos/apurados.


A cidade do norte do Tocantins detêm altas taxas de crimes de roubo, tendo a Polícia Civil do referido Estado criado uma unidade especializada para investigações de todos os crimes de roubo no município de cerca de 200 mil habitantes. A DRR – Delegacia Especializada de Repressão a Roubos então iniciou as atividades e conseguiu, após a aplicação do denominado método de pareto, aumentar o volume de crimes de roubo apurados, aumentar o colume de instaurações de inquéritos (quando há informações adicionais mínimas que possibilitem a operação), bem como reduzir os índices de roubos.

O Delegado Breno Alves aduz que “o método de gestão consiste em utilizar ferramentas de análise criminal, bem como ferramentas para tornar objetivo o registro do modus operandi, e, assim, ter dados que possibilitem identificar ocorrências com maior possibilidade de apuração, concentrando atos de investigações em crimes selecionados pelas ferramentas e pela análise”.

Os dados do projeto de atuação do método de pareto na gestão da unidade conseguiu, em comparação aos anos de 2018 e 2019, aumentar em 62,39% os crimes apurados (IPs relatados), aumentar em 97% as apurações iniciadas (IPs abertos), e na quantidade de crimes de roubos obtiveram a redução destes na ordem de 20,36%.

O referido modelo de gestão aplicado trata-se de projeto embrionário, mas os primeiros resultados já apontam resultados satisfatórios e que podem vir a se tornar referência nacional em critérios de seletividade, produção enxuta e outros conceitos em voga dentro do trabalho da polícia investigativa no Brasil.

Diversas revistas científicas já publicaram os primeiros resultados através do artigo científico intitulado em “O MÉTODO DE PARETO APLICADO EM INVESTIGAÇÕES DE CRIMES DE ROUBOS: CONCEITUAÇÃO CRIMINOLÓGICA E ESTUDO DE CASO DA GESTÃO DE UMA UNIDADE DE POLÍCIA JUDICIÁRIA”.

O CNJ em 2015 informou que 22,8% de todos os reincidentes criminais são autores de crimes de roubo, e em 2018 o BNMP apontou que 27,58% de todos os presos do Brasil eram em virtude de crimes de roubo, o que denota a importância do tema e o pioneirismo de pesquisas e aplicações de métodos modernos para a investigação criminal.

* Delegado de Polícia Civil do Tocantins da DRR-Delegacia Especializada de Repressão a Roubos. Especialista em Ciências Criminais. Especialista em Direito em Administacao Pública. Especialista em Gestão em Segurança Pública. Especialista em Criminologia. Especialista em Medidas Operativas de Combate ao Narcotráfico com mais de 70 cursos na área policial investigativa.