Ato pelo fim da contribuição previdenciária sobre aposentadoria e pensões reúne milhares de pessoas

0
1014

 

O presidente da Associação de Delegados de Polícia do Brasil, Paulo D’Almeida, participou da manifestação. “Temos participado dos debates sobre o tema em diversos estados por que acreditamos que a aprovação deste projeto é uma questão de justiça com aqueles que dedicaram uma vida inteira ao serviço publico e que já deram a sua contribuição para a previdência”, afirmou Paulo.

Já a presidente da ANFIP (uma das entidades organizadoras do ato público), Margarida Lopes de Araújo, enfatizou que a PEC está pronta para ser votada: “Todo trabalho já foi feito, tudo que podíamos fazer em termos de convencimento dos deputados, reuniões em todos os estados do Brasil, culminando com este ato aqui. Semana que vem estaremos aqui de novo, sim! O momento é este!”, conclamou.

Abrindo os pronunciamentos de parlamentares, o deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP) também defendeu a votação imediata da PEC. “Parabéns a vocês por lotarem este auditório. Vocês vieram buscar o que é mais justo, a votação da PEC”. O deputado João Dado (SDD-SP) lembrou ter 37 anos de serviço público e constatou: “Ao longo desta vida a maior injustiça que eu já presenciei é a cobrança da contribuição previdenciária.”

Já o deputado João Campos (PSDB-GO) defendeu a manutenção da pressão para votar a PEC: “É muito importante, para garantir a pauta, dependemos dos líderes, precisamos ter o apoio de todos os líderes e, com essa presença maciça aqui, vamos garantir a aprovação.” Ivan Valente (PSOL-SP) justificou a defesa da 555: “A cobrança dos inativos não é só uma injustiça, é uma ilegalidade e perversidade contra os servidores públicos.”

O deputado Vicente Cândido (PT-SP), presidente da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ), acredita que a 555 será votada e diz que a questão está evoluindo bem na bancada do PT: “Com esta mobilização, com essa pressão, com esse poder de articulação, acho que a vitória está por vir.” Alice Portugal (PCdoB-BA) enfatizou que todo trabalhador têm direito a uma aposentadoria “sem mordidas, sem desfalques”.

Por sua vez, Chico Alencar (PSOL-RJ) demonstrou surpresa com a quantidade de pessoas no auditório: “Estou aqui há quase 12 anos e não me recordo de ver este auditório tão cheio assim. Esta luta não pode ser frustrada.” Policarpo (PT-DF) defendeu o apoio do PT à votação: “Eu sou do PT e o meu voto é favorável para acabar com esta injustiça. Não descansarei enquanto o PT não assinar o requerimento.”

Outros deputados também se pronunciaram pela aprovação da PEC 555, entre eles os deputados Amauri Teixeira (PT-BA), Lincoln Portela (PR-MG), Akira Otsubo (PMDB-MS); Andréia Zito (PSDB-RJ); Assis Carvalho (PT-PI); César Colnago (PSDB-ES); Chico Lopes (PCdoB-CE); Erika Kokay (PT-DF); Esperidião Amin (PP-SC); Fábio Trad (PMDB-MS); George Hilton (MG); Glauber Braga (PSB-RJ); Jair Bolsonaro (PP-RJ); Janete Pietá (PT-SP); Jô Moraes (PCdoB-MG); Otoniel Lima (PRB-SP); Rubens Bueno (PPS-PR); Taumaturgo Lima (PT-AC); Valdivino de Oliveira (PSDB-GO); Vitor Paulo (PRB-RJ), e Weliton Prado (PT-MG).

Também exigiram o fim da taxação dos inativos os representantes de todas as entidades presentes no ato, como Mosap, Sindifisco Nacional, Sinait, Unafisco Associação, NCST, CSPB e diversas outras. Ao final, todos cantaram a música “Aposentados sim; Inativos nunca!”, de autoria da pedagoga Maria Dalva de Menezes Silva, do Simpere (Sindicato Municipal dos Profissionais de Ensino da Rede Oficial do Recife).